Header Ads


Incentivo Financeiro: Projeto de Lei a ser proposto pela Câmara Municipal está disponível

      É a articulação dos Agentes comunitários de Saúde e de Combate às Endemias que pode garantir o pagamento do Incentivo Adicional, mediante Projeto de Lei.  —  Foto: Reprodução.
 
Incentivo Financeiro: Modelo de Projeto de Lei a ser proposto pela Câmara Municipal
Publicado no JASB em 10.janeiro.2022.  

PIS/PASEP | Com a finalidade de fortalecer o acesso dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias, estamos disponibilizando uma cópia do Projeto de Lei que já foi apreciado e aprovado na Câmara Municipal de Vereadores. Este serve de modelo para que novos sejam criados, em benefício dos agentes.
-
-
Projeto de Lei que garante o Incentivo Adicional
Como é de conhecimento geral, o Incentivo Financeiro Adicional (que é uma gratificação extra)  é um direito dos Agentes Comunitários e de Combate às Endemias, contudo, alguns prefeitos e os sus secretários de saúde usam de manobras maliciosas para desviar tal recurso, mesmo correndo o risco da administração ser condenada por improbidade administrativa, inclusive, passiva de ações penais. 

ordenamento jurídico que comprova o direito da categoria de ACS/ACE ao Incentivo Adicional é muito vasta, inclusive, com ações judiciais sendo confirmadas em favor da categoria.
Para acabar com a ansiedade da categoria, quanto ao recebimento do pagamento do incentivo no final do ano, considerando que a cada quatro anos há eleições municipais, portanto, havendo possibilidade de troca de gestores, abrindo a chances de passar pela municipalidade um mal gestor, que seja omisso as leis e direitos da categoria, sugerimos que seja criado um Projeto de Lei que garante o Incentivo Adicional. Esse PL pode partir do por executivo ou do legislativo, ou seja, do próprio prefeito ou dos vereadores. 
-
-
Prefeitos que alegam ilegalidade do PL vindo dos vereadores
Usando de má-fé ou por ignorância, o que é pouco provável, alguns prefeitos tem alegado ilegalidade (inconstitucionalidade) do Projeto de Lei que nasce de iniciativa do legislativo municipal (vereadores), contudo, é totalmente constitucional que a Câmara de Vereadores apresente, vote e aprove um PL de sua iniciativa, já que tal projeto não acarreta onerosidade ao executivo municipal. Trata-se de uma questão atípica, ou seja, o recurso que estará sendo garantido aos ACS/ACE vem do FNS - Fundo Nacional de Saúde e não dos cofres municipais. Nesse caso, não existe nenhuma ilegalidade no Projeto de Lei de iniciativa do legislativo municipal (vereadores). 

Decisão do Supremo fortalece a iniciativa do PL de iniciativa dos vereadores
A decisão do Supremo, que teve como relator o Ministro Gilmar Mendes, fixou entendimento no sentido de reafirmar a jurisprudência da Corte, para dizer que não é inconstitucional lei municipal de iniciativa de vereador quando a matéria tratada não está inserida no rol taxativo previsto no art. 61, § 1º, II da Constituição Federal, cuja reprodução é obrigatória nas Constituições Estaduais e Leis Orgânicas Municipais devido ao princípio da simetria, ainda que tais leis estabeleçam novas despesas para o município.
-
-
Ou seja, a decisão do STF em repercussão geral definiu a tese 917 para reafirmar que: “Não usurpa competência privativa do Chefe do Poder Executivo lei que, embora crie despesa para a Administração, não trata da sua estrutura ou da atribuição de seus órgãos nem do regime jurídico de servidores públicos (art. 61, § 1º, II,a, c e e, da Constituição Federal).” Ficou claro que, com exceção das matérias previstas expressamente naqueles dispositivos e seus correspondentes a nível estadual e municipal, todas as outras são inalcançáveis pela inconstitucionalidade formal subjetiva, ou seja, vício de iniciativa, uma vez que a interpretação dada pela Suprema Corte é restritiva e não amplia o rol taxativo previsto pelo legislador constituinte.

Cidades que pagam o Incentivo 
grande número de cidades que pagam o Incentivo Financeiro Adicional comprova que os muitos gestores públicos municipais (prefeitos e secretários de saúde) são conscientes do direito dos ACS/ACE e preferem agir dentro da legalidade, em relação ao referido direito.
Nenhum prefeito paga o Incentivo por ser bonzinho, mas em face da legalidade existente no direito dos agentes.
-
-
Lei já sancionada no Município de Campos Sales, Ceará:



Modelo de Anteprojeto de Lei
Modelo de Anteprojeto de Lei já aprovado em Câmara de Vereadores e enviado ao Prefeito:



-
-
Modelo de Ofício 
Modelo de Ofício anexo ao Anteprojeto de Lei para ser enviado ao Prefeito:
*Samuel Camêlo - Além de ser coordenador da rede de voluntários da MNAS - Mobilização Nacional dos Agentes de Saúde, JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil é bacharel em direito, graduado e pós-graduado em história. Fez parte da equipe técnica que elaborou a formação técnica de 1.520 ACS's em Recife como voluntário. Há quase 20 anos que ele, juntamente com a rede de voluntários, usa as ferramentas interativas da rede mundial de computadores para fortalecer nacionalmente as categorias de ACS/ACE.

-
-
A campanha nacional do JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil, em defesa do pagamento desse incentivo, continua nas redes sociais. Seja você também um voluntário, acesse a nossa página no Facebook e compartilhe as nossas matérias. Torne esse incentivo ainda mais popular, garante o direito para todos os ACS/ACE do país!

JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil.
O jornalismo do Conexão Notícia precisa de você para continuar marcando ponto na vida das pessoas. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de qualquer valor, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado! Veja como doar aqui! 

Inscreva-se no canal do JASB no YouTubeWhatsAppTelegram ou Facebook.

CONACS, SINDICOMUNITÁRIO e SINDIEMPROL debatem a PEC 22, o Piso de 2 salários e o Curso Técnico

      José Jailson da Silva (SINDICOMUNITÁRIO/SP) e Ilda Angélica Correia (CONACS).   —  Foto: Reprodução.
 
Também participou da agenda o diretor presidente do  SINDIEMPROL - Sindicato dos Agentes de Combate às Endemias e Saúde da Família do Estado de São Paulo, Paulo Lopes.
Trataram sobre a defesa do Reajuste do Piso Nacional de 2 salários, também do Curso Técnico para os Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias de todo o país. Veja a matéria completa, aqui!

Trabalho dos agentes de saúde gera uma economia anual de R$ 48 bilhões aos cofres públicos 
      Trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias geram saúde e economia para o Brasil.  —  Foto: Divulgação.
 
Conforme avaliação realizada pelo JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil, o impacto positivo do trabalho realizado pelos agentes comunitários de saúde e agentes de combate às endemias gera uma economia anula de R$ 48 bilhões aos cofres públicos públicos brasileiros. Leia a matéria completa, aqui! 

-
-
Conteúdo relacionado:


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.