Header Ads


STF - julgamento do Piso Nacional dos Agentes Comunitários e de Endemias na Suprema Corte.

      STF decidirá sobre Piso dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias em plenário físico.   —  Foto: Marco Antônio Rezende/Folhapress.
 
STF -  julgamento do Piso Nacional dos Agentes Comunitários e de Endemias na Suprema Corte.
Publicado no JASB em 07.janeiro.2022.  

PIS/PASEP Corte maior do país decidirá em plenário físico, se o Piso Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias vale para estados, municípios e o Distrito Federal.
-
-
O STF - Supremo Tribunal Federal vai decidir em plenário físico se o Piso Salarial Nacional para Agentes Comunitários e de Combate às Endemias é aplicável aos servidores dos Estados, do Distrito Federal e dos municípios, independentemente do regime jurídico a que estiverem vinculados. A controvérsia é objeto do RE 1.279.765, que estava pautado em plenário virtual em dezembro, mas processo teve pedido de destaque do ministro Dias Toffoli.

Conforme matérias já publicadas pelo JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil, conforme alegações de sindicalistas da Bahia e diversos juristas que representam as duas categorias, tal situação no STF se originou de erro de procedimentos, cometidos pela AASA - Associação dos Agentes de Saúde do Estado da Bahia.


O tema teve repercussão geral reconhecida pelo plenário virtual (tema 1.132). Decisão servirá de parâmetro para a resolução de casos semelhantes que tramitam no Judiciário.
-
-
No caso concreto, o município de Salvador/BA recorre de decisão da 6ª turma Recursal dos Juizados Especiais da Fazenda Pública do Estado da Bahia que determinou à Administração municipal o pagamento, aos agentes comunitários de saúde, o pagamento do Piso Salarial da categoria, previsto na lei Federal 11.350/2006, com a redação dada pela lei 12.994/14. Segundo a Turma Recursal, o STF, no julgamento de ADIn 4.167), validou a norma geral que fixou o Piso Salarial dos professores do ensino médio com base no vencimento, e não na remuneração global.

Em face da situação, a presidente da CONACS - Confederação Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde, Ilda Angélica Correia, se posicionou em busca de fortalecer a busca pela garantia de direito da categoria em Salvador. Contudo, segundo informações da líder, a direção da AASA-BA recusou a ajuda.

Luís Cláudio, diretor presidente da FENASCE - Federação Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias questionou a postura da AASA, comentou sobre as falhas da associação no processo. Defendeu que essa angústia da categoria a nível nacional poderia ter sido evitada e que foi um erro grave deixar chegar nas mãos do STF, sob o risco de perda do que já foi conquistado. Leia a matéria completa e veja o vídeo, aqui!
-
-
No processo, o município sustenta, entre outros pontos, que a aplicação do Piso Salarial Nacional a servidores estatutários municipais viola o pacto federativo e sua autonomia administrativa para fixar o regime jurídico e o plano de carreira de seus servidores. Reforça, ainda, a impossibilidade de conceder vantagem ou reajuste se não houver dotação orçamentária suficiente e previsão específica na lei de diretrizes orçamentárias local. O que manifesta uma radical contradição, já que os recursos para pagamento do Piso é transferido à capital baiana, via FNS - Fundo Nacional de Saúde.


Em seu pedido, o município solicitou que, caso o STF considere o piso aplicável, o valor seja equivalente à remuneração total do servidor, conforme a súmula vinculante 16. Se o pedido for atendido, segundo lideranças sindicais e juristas, que representam os ACS/ACE em sindicatos, associações e demais entidades, haverá uma catástrofe. As duas categorias serão afetadas e as perdas incalculáveis.

Processo: RE 1.279.765.

Autorizada a reprodução, desde que a fonte seja citada com o link da matéria.

JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil.
O jornalismo do Conexão Notícia precisa de você para continuar marcando ponto na vida das pessoas. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de qualquer valor, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado! Veja como doar aqui! 

Inscreva-se no canal do JASB no YouTubeWhatsAppTelegram ou Facebook.

Trabalho dos agentes de saúde gera uma economia anual de R$ 48 bilhões aos cofres públicos 
      Trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias geram saúde e economia para o Brasil.  —  Foto: Divulgação.
 
Conforme avaliação realizada pelo JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil, o impacto positivo do trabalho realizado pelos agentes comunitários de saúde e agentes de combate às endemias gera uma economia anula de R$ 48 bilhões aos cofres públicos públicos brasileiros. Leia a matéria completa, aqui! 

VEJA TAMBÉM:  
-
-
Dinheiro: Mais uma prefeitura garante o pagamento do 14º aos ACS/ACE

     Prefeitura garante o pagamento do Incentivo Financeiro Adicional aos Agentes Comunitários e de Combate às Endemias.  —  Foto: Reprodução.
 
A Prefeitura Municipal de Campos Sales (CE) aprovou na Câmara Municipal de Vereadores da cidade o Projeto de Lei, que deu origem à Lei nº 681, de 23 de novembro de 2001. A nova lei garante aos agentes comunitários e de endemias o recebimento do Incentivo Financeiro Adicional. Veja a matéria completa, aqui!

-
Conteúdo relacionado:


3 comentários:

  1. Eu acho uma tremenda sacanagem o que estão fazendo com os ACS e ACE nós trabalhamos para dá boa vida para as categorias que nos representa e os políticos que vive no bem bom as custas dos trabalhadores e na hora de dá um aumento prá gente as brigas são muitos que não querem nos ajudar... mais o nosso voto vcs querem então vão ficar querendo ..e tem mais categoria nenhuma tem direito o nosso voto.votamos em quem nos dar valor o nosso trabalho..


    ResponderExcluir
  2. Políticos que estão contra nós ACS não vão ter o nosso voto e não adianta acreditar em categoria que nos vendem pelo voto que nós não samos mercadorias já chega de tanta enrolação com o nosso trabalho de ACS e ACE trabalhamos com responsabilidade e honestidade com nossas famílias ... então temos o direito e dever de um salário digno isso porque trabalhamos não ganhamos prá não fazer nada com muitos de VCS políticos que brincan com dinheiro as nossas custas
    ..Uma ótima tarde 🌹🌹

    ResponderExcluir
  3. o pagamento do piso salarial é respaldado por Lei Ordinária; e não Municipal "a Lei de Diretrizes Orçamentária da Prefeitura que, ultrapassou seus limites que se reorganize e respeite a tríade política de descentralização".

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.