Header Ads


Ameaça Mundial: Epidemia de coqueluche atinge Europa com 60 mil casos.

         Coqueluche: Uma infecção bacteriana dos pulmões e das vias aéreas. — Foto: Bing.
 
Ameaça Mundial: Epidemia de coqueluche atinge Europa com 60 mil casos.
Publicado no JASB em 13.maio.2024. Atualizado em 16.maio.2024.

Grupos no WhatsApp A coqueluche, uma infecção bacteriana dos pulmões e das vias aéreas, é endêmica na Europa, representando um perigo particular para bebês e idosos.
-
-
Aumento de casos nos países europeus

Os casos de coqueluche nos países europeus aumentaram significativamente em 2023 e no primeiro trimestre de 2024, com uma incidência dez vezes maior do que nos dois anos anteriores. 

Quase 60 mil casos 

Segundo o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças, quase 60 mil casos foram reportados pelos países da União Europeia (UE) e do Espaço Econômico Europeu (EEE) durante esse período. Este aumento alarmante resultou em 11 mortes de bebês e oito de adultos mais idosos.

Epidemias mais severas de coqueluche

A agência de saúde europeia alertou que epidemias mais severas de coqueluche são esperadas a cada três a cinco anos, mesmo em países com altas taxas de vacinação. No entanto, a redução na imunização durante a pandemia de covid-19 pode ter contribuído para o aumento observado.
-
-
Circulação da coqueluche

Durante a pandemia e as restrições de movimento relacionadas a ela, a circulação da coqueluche foi significativamente reduzida, amplificando a percepção do aumento. Apesar disso, os números continuam sendo historicamente elevados. Apenas nos primeiros três meses de 2024, foram registrados tantos casos quanto em um ano médio durante o período de 2012 a 2019.

         O que é coqueluche: doença parece resfriado em adultos. — Foto: Luisella Planeta Leoni/Pixabay.

Perda da imunidade natural

A agência destacou que uma parcela significativa da população perdeu a imunidade natural à coqueluche devido à falta de exposição durante a pandemia, aumentando o risco, especialmente para os bebês com menos de seis meses.
-
-
A importância da vacinação

Andrea Ammon, diretora da agência, enfatizou a importância vital da vacinação: “É essencial lembrar as vidas em jogo, especialmente dos nossos pequenos. As vacinas contra a coqueluche são comprovadamente seguras e eficazes.” A maioria dos países europeus rotineiramente imuniza crianças contra a coqueluche e muitos administram vacinas também para mulheres grávidas, visando proteger seus bebês.

Centro de Prevenção

O Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças sugeriu que alguns países considerem a possibilidade de oferecer reforços para crianças mais velhas e adultos, devido à possibilidade de diminuição da imunidade.


As informações são da Giaizieitiai Brasil.

Edição Geral: JASB.

Publicação
JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil - www.jasb.com.br.
--
- 4
****************************************************
Servidores municipais de todo o Brasil preparam participação na Marcha da Classe Trabalhadora em 22 de maio.
         Por democracia, justiça e direitos. — Foto/Reprodução/Cpers.
 
Servidores municipais de todo o Brasil preparam participação na Marcha da Classe Trabalhadora em 22 de maio.
Publicado no JASB em 12.maio.2024. Atualizado em 13.maio.2024.

Grupos no WhatsApp Sob três eixos principais de luta: pela revogação das reformas trabalhista e previdenciária e pelo fim da lei das terceirizações, milhares devem marchar na capital do país para reivindicar demandas.
-
-
Preparativos da Marcha dos Trabalhadores à Brasília

A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/Conatram) reuniu-se em uma plenária na quinta-feira (02) para delinear os preparativos da Marcha dos Trabalhadores à Brasília, marcada para o dia 22 de maio

Centrais sindicais e demais entidades

Por democracia, justiça e direitos, centrais sindicais e demais entidades marcharão na capital do país reivindicando uma série de demandas que afetam a classe trabalhadora.

Marcha em direção à Esplanada dos Ministérios

A concentração das caravanas será no Estádio Mané Garrincha, a partir das 8h. Às 10h, os manifestantes sairão em marcha em direção à Esplanada dos Ministérios, onde diversos militantes e líderes sindicais realizarão falas críticas às ameaças de retiradas de direitos.

Principais demandas

Entre as principais demandas, a revogação das reformas: trabalhista, previdenciária e da Lei da Terceirização; revogação do Novo Ensino Médio (NEM); 

— Contra a PEC 32/Reforma Administrativa; em defesa da Convenção 151/defesa da negociação coletiva; 
-
-
— redução da jornada de trabalho e empregos decentes; 

— em defesa da lei de igualdade salarial entre homens e mulheres; pela reforma agrária; menos impostos para trabalhadores: juros baixos e correção da tabela de imposto de renda; valorização do salário mínimo e das aposentadorias; 

— e por transição justa e ecológica em defesa da vida.

Presença da Confetam

A Confetam estará presente na Marcha dos Trabalhadores, somando-se à luta por melhores condições de trabalho e de vida, por uma sociedade mais justa, pela valorização dos servidores e servidoras e em defesa dos serviços públicos.

Servidores da ativa e aposentados

O Sindsep convida os servidores da ativa e aposentados interessados em participar da marcha, para fazer a inscrição pelo formulário, acesse o link do final desta publicação.

Fetems participa da Marcha da Classe Trabalhadora no dia 22 de maio em Brasília

Com o mote “Dignidade para quem faz o estado”, servidores e servidoras da educação pública de todo o país vão a Brasília, no dia 22 de maio, para participar da Marcha da Classe Trabalhadora. 
-
-
         Por democracia, justiça e direitos. — Foto/Reprodução/Fetems.

A Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (Fetems), organiza uma caravana com quatro ônibus com representantes de todos os municípios do estado para participar do evento, que é convocado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

Os três eixos de luta

A mobilização tem como foco três eixos de luta: A revogação das reformas trabalhistas e previdenciárias e pelo fim da lei das terceirizações. Entre seus objetivos, a Marcha buscará apresentar uma agenda ao Congresso Nacional que garanta o pleno emprego, melhores salários e um desenvolvimento econômico e social para o país.

A mobilização vai cobrar ação de parlamentares

O Projeto de Emenda Constitucional nº 32/20, da reforma administrativa Bolsonaro/Guedes, ameaça os direitos dos servidores públicos, assim como da população, e é considerada por especialistas como a pior proposta sobre administração pública já enviada ao Congresso Nacional. Este será um dos principais alvos da manifestação. 
-
-
A mobilização vai cobrar ação de parlamentares para que não permitam o desmonte do serviço público. 

Servidores federais, estaduais e municipais

Dentro do bloco dos servidores federais, estaduais e municipais, trabalhadores/as da educação de sindicatos filiados à CNTE, dentre eles a Fetems, irão endossar a luta por uma perspectiva de carreira e de aposentadoria dignas.

74 sindicatos municipais

“A Fetems e seus 74 sindicatos municipais filiados se mobiliza para participar desta grande e importante mobilização que é a Marcha da Classe Trabalhadora. Estamos viabilizando quatro ônibus para que trabalhadores (as) em educação de todos os municípios do estado possam ir a Brasília para defender e reivindicar uma educação pública de qualidade”, falou o Presidente da Fetems, Jaime Teixeira.

Além da PEC 32, a marcha luta pela:

I- Regulamentação da Convenção 151, que garante aos servidores o direito à negociação coletiva;

II- Por um reajuste salarial digno aos servidores;

III- Pela reestruturação de carreiras e realização de concursos públicos;
-
-
IV-Pelo piso salarial e carreira da educação;

V- Pela aprovação da PEC 555, fim do confisco dos aposentados e pensionistas; e

VI- Contra a Lei Complementar 173, que congelou direitos da categoria. 

A concentração dos/as trabalhadores/as está marcada para às 8h, no estacionamento da Fundação Nacional de Artes (Funarte), Eixo Monumental, em Brasília.

Inscrição pelo formuláriobit.ly/MarchaBrasiliaSindsep


As informações são da Cpers e Fetems.

Edição Geral: JASB.

Publicação
JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil - www.jasb.com.br.
-
-
****************************************************
FNARAS debate Aposentadoria Especial e desprecarização do trabalho dos ACS e ACE.
        Agentes comunitários e de combate às endemias estão na expectativas com a possibilidade de aprovação da PEC 14/2021. — Foto/Reprodução/Djair Araújo, CTB.
 
Publicado no JASB em 08.maio.2024.  Atualizado em 10.maio.2024.

Grupos no WhatsApp Nos dias 07 e 08 de maio, a Associação Fórum Nacional das Representações dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Combate às Endemias (ACE) (Fnaras), afiliada à Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), promoveu o 2º Seminário do FNARAS. 

Evento na Câmara dos Deputados

O evento ocorreu na Câmara dos Deputados em Brasília e contou com a participação do presidente da CTB, Adilson Araújo, e do secretário-geral, Ronaldo Leite.
-
-
Aposentadoria Especial 

O seminário foi dedicado à discussão sobre a aposentadoria especial e a necessidade de desprecarização do trabalho dos ACS e ACE. Um dos pontos centrais do debate foi a defesa da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 14/21, que busca garantir direitos previdenciários adequados para esses profissionais.

        Todos na expectativas da aprovação da PEC 14/2021. — Foto/Reprodução/Djair Araújo, CTB.

A luta pela aprovação da PEC 14

Para Marivalda Pereira, presidenta da Associação Fórum Nacional das Representações dos ACS e ACE (FNARAS) a luta pela aprovação da PEC 14 é singular para a vida de uma categoria que no seu cotidiano luta para construir um Brasil justo e soberano. Valorizar o trabalho, garantir a proteção social e uma aposentadoria digna para quem faz da defesa do SUS e da Saúde é pensar o quanto essa categoria é essencial para o projeto nacional de desenvolvimento.
-
-
A importância histórica da luta por direitos

Durante o evento, diversas questões foram levantadas, destacando a importância da categoria na prestação de serviços essenciais à comunidade e a necessidade de reconhecimento e valorização de seu trabalho. Adilson Araújo enfatizou a importância histórica da luta por direitos, especialmente após o período ditatorial, e a concepção de uma Constituição que visava a construção de um Estado de bem-estar social.

        A defesa dos interesses dos agentes comunitários e de combate às endemias continua, em Brasília. — Foto/Reprodução/Djair Araújo, CTB.

Uma nova reforma da previdência

“Ao longo dos anos, vimos diversas conquistas, mas também enfrentamos retrocessos. A recente proposta de uma nova reforma da previdência, sinalizada pela Ministra Simone Tebet, levanta preocupações sobre o futuro dos trabalhadores. Já fomos penalizados demais. Se houver qualquer mudança no sistema de seguridade social, que seja para melhorar a vida das pessoas, especialmente as mais necessitadas”, ressaltou Adilson Araújo.

Ameaças aos direitos trabalhistas

O discurso de Araújo reflete as preocupações com as constantes ameaças aos direitos trabalhistas e previdenciários, bem como a necessidade de resistência e luta por condições dignas de trabalho e aposentadoria. 
-
-
A defesa da isonomia salarial entre homens e mulheres e o cumprimento do piso da enfermagem também foram abordados como aspectos fundamentais para a valorização do trabalho na área da saúde.

        Agentes comunitários e de combate às endemias acreditam na aprovação da PEC 14/2021. — Foto/Reprodução/Djair Araújo, CTB.

Reforçando o compromisso

O seminário proporcionou um espaço importante para o diálogo e a articulação de estratégias em prol dos direitos e da dignidade dos ACS e ACE, reforçando o compromisso da CTB e da FNARAS com a defesa dos trabalhadores e trabalhadoras do setor da saúde.

Assista ao vídeo da entrevista de Valda ao TV Câmara:


As informações são da CTB.
-
-
Edição Geral: JASB.

Publicação
JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil - www.jasb.com.br.

****************************************************
FNARAS presente durante aprovação do Projeto que determina repasse do Incentivo Financeiro aos ACS/ACE.
        Milhares e milhares de agentes comunitários e de combate às endemias já recebem o IFA, contudo, ainda há inúmeros gestores desviando o recurso. — Foto/Reprodução.
 
Publicado no JASB em 07.maio.2024. Atualizado em 08.maio.2024.  

Projeto que determina o repasse do IFA - Incentivo Financeiro Adicional aos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias foi aprovado na Comissão de Serviço Público. Confira o vídeo, no final desta publicação!
-
-
O IFA é um direito de cada ACS e ACE de todo Brasil

Segundo informações compartilhado pela diretoria da FNARAS, estiveram presentes hoje (07/05/24) na Câmara dos Deputados, onde foi aprovado pela Comissão de Serviço Público, o Projeto de Lei nº 460/2019, que prevê o repasse do IFA - Incentivo Financeiro Adicional aos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Combate às Endemias (ACE) de todo país.

Relatoria do Incentivo  

Com a relatoria da deputada Professora Luciene Cavalcante (SP), essa medida reconhece o papel fundamental da categoria na promoção da saúde pública, fortalecendo o sistema de saúde do nosso país. 

        Agentes comunitários e de combate às endemias participam do 2º Seminário da FNARAS. — Foto/Reprodução.

O que acontece a seguir

Agora, o projeto seguirá para votação na Comissão de Finanças e Tributação (CFT). Essa aprovação de hoje foi uma grande conquista para toda a categoria, isso só é possível com a luta de todos.
-
-
Seminário da FNARAS 

No 1° dia do 2º Seminário da FNARAS, sobre a aposentadoria especial e a desprecarização do trabalho dos Agentes Comunitários e de Combate às Endemias. Segundo informações, a direção da instituição participou de reunião em prol da PEC 14/21, em Brasília. 

        Lideranças da FNARAS. — Foto/Reprodução.

Manifestação de solidariedade em face do drama no RS

Nota da FNARAS

A FNARAS expressa sua solidariedade aos profissionais e moradores dos mais de 150 municípios gaúchos afetados pelas fortes chuvas nos últimos dias. A situação é grave e toda ajuda é bem-vinda. 

O governo reabriu o canal de doações do estado. Você pode ajudar com qualquer quantia: Chave pix (CNPJ): 92.958.800/0001-38 - Nome: “SOS RIO GRANDE DO SUL” - Instituição: Banrisul. 
-
-
Os recursos serão totalmente revertidos para o atendimento das vítimas. 

Força ao povo gaúcho!

         Representação da FNARAS na Bahia. — Foto/Reprodução.

Evento ocorrido na Bahia

Seguindo a agenda da FNARAS nas Bases pela Bahia, na tarde do dia 25 de abril, membros da direção estiveram em Novo Mundo. 

PEC 14/21 em destaque 

A PEC 14/21 foi um ponto central de discussão, especialmente entre os profissionais com mais de 30 anos de experiência, muitos dos quais se encontram aposentados com apenas 1 salário mínimo. Por isso, é urgente garantir a aposentadoria especial, com integralidade e paridade em todo o Brasil. 

Representação política 

Segundo os diretores da FNARAS, também estão com a presença de pré-candidatos a prefeito e vereadores e debatemos juntos propostas e estratégias para ter mais representação política no município. Segundo os diretores, ter voz na Câmara é fundamental para influenciar diretamente nas políticas que impactam a vida da categoria. 
-
-
"Vamos somar forças para eleger mais ACS e ACE e fazer com que as lutas da categoria tenham voz e vez! A luta que nos une," publicou a direção da instituição. 

VÍDEO completo:


As informações são da Câmara dos Deputados.

Edição Geral: JASB.

Publicação
JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil - www.jasb.com.br.
-
-
****************************************************
Fique por dentro: 40% - Grau Máximo na Insalubridade dos Agentes de Saúde (sem laudo técnico).
        Os agentes comunitários e de combate às endemias serão favorecidos com o Incentivo de Insalubridade em grau máximo (40%). — Fotomontagem JASB/Reprodução/Agência Brasil.
 
Publicado no JASB em 26.abril.2024. Atualizado em 07.maio.2024.  

Uma das propostas amplamente defendida pelos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias de todo o Brasil, sem dúvida alguma é a que eleva para 40% o Adicional de Insalubridade. O Grau Máximo às duas categorias. Não existe instituição em todo país que seja capaz de garantir a aprovação desse Projeto de Lei, a não ser por meio da articulação dos próprios agentes.  
-
-
A força que vem da informação

O JASB tem dado ampla cobertura a esse  Projeto de Lei, que tramita na Câmara dos Deputados sob o número 1336/2022. Ela também foi proposta pelo Professor Dr. Valtenir Pereira, logo após a aprovação da PEC 22/2011, esta que garantiu o "Piso Nacional" de dois salários mínimos aos agentes. 

Posicionamento do Dr. Valtenir Pereira

Segundo o próprio Dr. Valtenir Pereira, o objetivo do Projeto é a garantia que cada agente comunitário e de combate às endemias tenham direito ao Adicional de Insalubridade de 40%, sobre o valor do salário base, que atualmente equivalente aos dois salários mínimos. 

Valtenir Pereira tem demostrado muito interesse em elevar a qualidade de vida de todos os ACS e ACE do país. É por esse motivo que o ele, em sua passagem relâmpago pela Câmara dos Deputados, focou em propostas que sejam capazes de ampliar os ganhos financeiros dos agentes.

        Professor Valtenir Pereira. — Foto/Reprodução.

A Emenda Constitucional 120

Depois da Emenda Constitucional 120, aprovada em maio de 2022, o Profº Valtenir apresentou a PEC 18, que visa garantir os 3 salários mínimos aos ACS/ACE, além da proposta de Aposentadoria Especial, de forma a garantir que os agentes ao se aposentarem, recebam o mesmo vencimento dos colegas que estão na ativa. 
-
-
Quase um salário mínimo a mais 

Como já foi abordado em matéria anterior, o  PL da Insalubridade em Grau Máximo, eleva o potencial de renda das duas categorias, projetando uma realidade social muito mais vantajosa do que a atual, já que garante quase um salário mínimo aos 2 que já foram conquistados pelas duas categorias em Brasília. 

A importância de cobrar dos líderes dos partidos

O Projeto do Adicional de Insalubridade em 40%, não tem recebido a devida atenção dos deputados federais e senadores. O nosso editorial fez uma avaliação e constatou que não é positiva a forma como a proposta vem sendo tratada em Brasília. Algo precisa ser feito com urgência, afinal de contas, estamos falando de um acréscimo de quase um salário mínimo a mais, nos dois salários já conquistados pelas duas categorias. 

Avaliação das informações 

Como pode ser visto nos dados disponibilizados pela Câmara dos Deputados (logo abaixo), a Proposta de Insalubridade em Grau Máximo teve apenas uma movimentação neste ano, precisamente no dia 06/02/2024. 
-
-
Texto original não sofreu alteração na Câmara

Em outubro do ano passado, a Comissão de Saúde (CSAUDE ) iniciou o prazo de 5 sessões para apresentação de emendas ao projeto. No caso, não houve apresentação de emendas, portanto, o PL seguiu com o texto original, sem ter nenhuma só alteração. 

Apensamento da proposta

O apensamento da proposta da Insalubridade ao Projeto de Lei PL 6169/2023, de autoria do Dr. Fabio Rueda (UNIÃO-AC) não tem sido algo positivo. Não tem produzido nada de possa ser avaliado como relevante em benefício dos Agentes Comunitários e de Combate às Endemias. Em poucas palavras, podemos afirmar que estamos perdendo tempo com a proposta colocada numa espécie de "geladeira." Avaliamos assim, em decorrência da situação "congelada" da proposta dos 40% de Insalubridade. 

A deputada federal Francisca Eliane Braz de Carvalho (PSD - Ceará), que era relatora da proposta, deixou de ser membro da Comissão de Saúde. No sistema da Câmara dos Deputados não consta dados de nova relatoria. O que também é preocupante, já que transparece a falta de atenção ao Projeto. 
-
-
Confira os dados disponíveis no sistema da Câmara dos Deputados



As informações são da Câmara dos Deputados.

Edição Geral: JASB.

Publicação
JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil - www.jasb.com.br.
-
-
****************************************************
NOTÍCIA ANTERIOR
INSALUBRIDADE: Lei Federal pode garantir o pagamento de Insalubridade em Grau Máximo aos Agentes de Saúde (ACS e ACE).

        Os agentes comunitários de saúde reagem contra abusos dos maus gestores municipais. — Imagem/Reprodução/Agência Brasil.
 
Publicado no JASB.          

Os Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias de todo o Brasil possuem direito ao pagamento do adicional de insalubridade, independente dos interesses dos prefeitos e demais gestores. Tal direito é garantido por Lei Federal. Confira os detalhes!
-
-
É fundamental que as duas categorias conheçam os detalhes de seus direitos, ainda que não sejam do seguimento jurídico. Ninguém é obrigado a ter domínio de direito trabalhista, contudo, precisa ter o conhecimento básico de seus direitos. Tal coisa impede que sejam iludidos com manobras levianas de alguns maus administradores públicos, principalmente municipais.

Lei Federal garante a Insalubridade

Atualmente a Lei Federal nº 13.342/2016 garante aos agentes comunitários e de combate às endemias o direito ao Adicional de Insalubridade, sobre o salário base.

A constituição garante o direito

Considerando que a Emenda Constitucional 120/2022, de iniciativa do Profº Dr. Valtenir Pereira (MT), garante o salário base de 2 salários, ou seja, em 2022 o valor é de R$ 2.640 ou seja, isso implica que, tendo as duas categorias garantido a regulamentação da Insalubridade em sua cidade, quer em 10%, 20% ou 40%, a base de cálculo será de 2 salários mínimos. Até que o PL de autoria do autor da EC 120 estabeleça uma nova realidade para os ACS e ACE.

        Profº Dr. Valtenir Pereira deu o pontapé para que a insalubridade seja de 40% para todos os ACS e ACE do país. — Foto/Reprodução/Câmara dos Deputados.

Insalubridade de 40%

O Projeto de Lei 1.336/2022 tem a finalidade de garantir que os agentes comunitários de saúde e os agentes de combate a endemias tenham direito a adicional de insalubridade de 40%, calculado sobre os dois salários mínimos. 
-
-
A Mobilização comandada pela CONACS, nos dias 9 e 10 de maio, realizada em Brasília, sinalizou para os deputados e senadores que essa pauta, assim como a Aposentadoria Especial, o Piso Nacional de 3 salários mínimos, entre outras, são de interesse dos agentes. 

Preparamos algumas perguntas e respostas para que seja possível fixar as informações com mais facilidade

O que é adicional de insalubridade no trabalho?

O adicional de insalubridade é um benefício do trabalhador/a que está exposto a um ambiente laboral potencialmente nocivo.

O adicional surge como uma forma de proteger o empregado e deixar o empregador atento às condições de trabalho que oferece e aos casos que ele se aplica.

Esses agentes nocivos podem ser químicos, físicos ou biológicos.

A classificação do nível da insalubridade deve ser feita por um médico ou engenheiro do trabalho registrado na Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia. Para isso, uma perícia deve ser realizada por esse profissional.

        Os agentes comunitários e de combate às endemias serão favorecidos com o Incentivo de Insalubridade em grau máximo (40%). — Fotomontagem JASB/Reprodução/José Cruz/Agência Brasil.

Como solicitar insalubridade na prefeitura?

A solicitação pode ser feita pelo servidor, chefia imediata ou entidade representativa do servidor público municipal, mediante preenchimento do Requerimento Individual Padronizado de Solicitação de Adicional de Insalubridade.
-
-
Qual o valor da insalubridade do Agente Comunitário de Saúde ou de Combate às Endemias atualmente?

Atualmente, a legislação assegura, para diversas categorias profissionais, que o exercício de trabalho em condições insalubres gera um adicional, que varia entre mínimo, médio e máximo – ou, respectivamente, 10%, 20% e 40% do salário base. Até que a Emenda Constitucional 120/2022 seja regulamentada pelo PL 1.336/2022.

Quem tem direito a 40% de insalubridade?

Tem direito a 40% de insalubridade aqueles que estão expostos a graves agentes causadores de doenças. Há duas formas de saber se a sua profissão se encaixa nesse requisito: lista da relação de atividades consideradas insalubres (NR-15 e seus anexos) e perícia técnica.

Quem tem direito a 20% de insalubridade?

Por exemplo, uma pessoa que exerce atividade insalubre em grau médio irá receber um adicional de 20% em cima do salário mínimo que em 2022 é de um salário mínimo. No caso dos agentes comunitários de saúde e agentes de combate às endemias, o base é de 2 salários mínimos, conforme estabelece a Emenda Constitucional 120/2022.

Todos os agentes comunitários e de combate às endemias tem direito a Insalubridade em grau máximo (40%)?

Infelizmente o direito ao adicional de insalubridade pode estabelecer como direito o grau de 10%, 20% e 40%, sobre o salário base, no caso, os 2 salários previstos na Emenda Constitucional 120/2022, considerando que a Lei Federal 13.342/2016 estabelece que a base de cálculo é o salário base e não o salário mínimo. 
-
-
Embora a EC 120/2022 estabeleça que os ACS e ACE possuem direito ao Adicional de Insalubridade, ainda não foi fixado qual o grau. Valtenir Pereira colocou em tramitação um PL que fixa em 40%, tanto para ACS quanto para ACE. Contudo, nesse momento ainda continua sendo de 10%, 20% e 40% do salário base.


        Agentes de combate às endemias e comunitários de saúde devem ter o direito ao adicional de insalubridade garantidos. — Foto/Reprodução.

Conheça o que já garante a Lei  13.342/2016, que está em vigor, atualmente:

LEI Nº 13.342, DE 3 DE OUTUBRO DE 2016.  Garante o adicional de insalubridade  aos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias.
LEI Nº 13.342, DE 3 DE OUTUBRO DE 2016.

Mensagem de veto

Promulgação partes vetadas

Altera a Lei nº 11.350, de 5 de outubro de 2006, para dispor sobre a formação profissional e sobre benefícios trabalhistas e previdenciários dos Agentes Comunitários de Saúde e dos Agentes de Combate às Endemias, e a Lei nº 11.977, de 7 de julho de 2009, para dispor sobre a prioridade de atendimento desses agentes no Programa Minha Casa, Minha Vida (PMCMV).

O PRESIDENTE DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, no exercício do cargo de PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º (VETADO).
-
-
Art. 2º O art. 9º da Lei nº 11.350, de 5 de outubro de 2006 , passa a vigorar acrescido do seguinte § 2º, numerando-se o atual parágrafo único como § 1º:

“Art. 9º ...........................................................................

§ 1º .................................................................................

§ 2º O tempo prestado pelos Agentes Comunitários de Saúde e pelos Agentes de Combate às Endemias enquadrados na condição prevista no § 1º deste artigo, independentemente da forma de seu vínculo e desde que tenha sido efetuado o devido recolhimento da contribuição previdenciária, será considerado para fins de concessão de benefícios e contagem recíproca pelos regimes previdenciários.” (NR).

Art. 3º O art. 9º -A da Lei nº 11.350, de 5 de outubro de 2006 , passa a vigorar acrescido do seguinte § 3º :

‘Art. 9º -A ....................................................................

............................................................................................

§ 3º O exercício de trabalho de forma habitual e permanente em condições insalubres, acima dos limites de tolerância estabelecidos pelo órgão competente do Poder Executivo federal, assegura aos agentes de que trata esta Lei a percepção de adicional de insalubridade, calculado sobre o seu vencimento ou salário-base:
-
-
I - nos termos do disposto no art. 192 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943 , quando submetidos a esse regime;

II - nos termos da legislação específica, quando submetidos a vínculos de outra natureza.

Art. 4º (VETADO).

Art. 5º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 3 de outubro de 2016; 195º da Independência e 128º da República.

RODRIGO MAIA

Henrique Meirelles

Dyogo Henrique de Oliveira

Bruno Cavalcanti de Araújo

Este texto não substitui o publicado no DOU de 4.10.2016
-
-
LEI Nº 13.342, DE 3 DE OUTUBRO DE 2016.

Altera a Lei nº 11.350, de 5 de outubro de 2006, para dispor sobre a formação profissional e sobre benefícios trabalhistas e previdenciários dos Agentes Comunitários de Saúde e dos Agentes de Combate às Endemias, e a Lei nº 11.977, de 7 de julho de 2009, para dispor sobre a prioridade de atendimento desses agentes no Programa Minha Casa, Minha Vida (PMCMV).

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu promulgo, nos termos do parágrafo 5º do art. 66 da Constituição Federal, as seguintes partes vetadas da Lei nº 13.342, de 3 de outubro de 2016 :

“Art. 3º O art. 9º -A da Lei nº 11.350, de 5 de outubro de 2006, passa a vigorar acrescido do seguinte § 3º :

‘Art. 9º -A ....................................................................

............................................................................................

§ 3º O exercício de trabalho de forma habitual e permanente em condições insalubres, acima dos limites de tolerância estabelecidos pelo órgão competente do Poder Executivo federal, assegura aos agentes de que trata esta Lei a percepção de adicional de insalubridade, calculado sobre o seu vencimento ou salário-base:
-
-
I - nos termos do disposto no art. 192 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943 , quando submetidos a esse regime;

II - nos termos da legislação específica, quando submetidos a vínculos de outra natureza.’ (NR)”

Brasília, 21 de dezembro de 2016; 195º da Independência e 128º da República.

MICHEL TEMER

(*) Publicação do texto a que se refere a Mensagem nº 678, de 21.12.2016, DOU de 22.12.2016.

Este texto não substitui o publicado no DOU de 11.1.2017.

Envie informações de sua categoria, em sua cidade à redação do JASB por e-mail: agentesdesaude(sem spam) @gmail.com ou por meio dos formulários de conato da página.

 Receba notícias direto no celular  entrando nos nossos grupos. Clique na opção preferida:
 WhatsApp , Telegram   Facebook  ou Inscreva-se no canal do  JASB no YouTube 


JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil.
Tecnologia do Blogger.